Os temperos da Vida ;-) – Arroz de especiarias

Ontem eu tive a honra de encontrar a Gisela Rao . Eu não estava em um dia muito feliz comigo, e confesso que não demonstrei o tamanho da emoção que eu senti ao conhece-la. Eu mal dormi de ansiedade e fiquei triste do meu livro estar na casa dos meus pais e eu não poder ter o autógrafo dela. O que me tranquilizou é que eu não pretendo perder mais nenhum encontro do V.A.E.

O post de hoje, continuando os posts básicos, vai falar sobre as especiarias e algumas dicas para utilizá-las.
Eu sempre gosto de ousar nas experiências com elas, tenho que admitir que nem sempre funciona tão bem. Uma que parecia estranha, mas funcionou, foi frango ao molho de miski (resina da arvore do pistache) e canela. Um filme que fala muito sobre os temperos e, de forma lúdica, como utilizá-los, é O Tempero da Vida, procurem.
Quando eu decidi fazer gastronomia, meus pais ficaram se perguntando de onde eu tirei a ideia. Com o tempo eles foram vendo que os costumes  dentro de casa, e a liberdade que mamãe sempre me deu para “fazer arte” na cozinha dela, me empurraram para essa paixão que eu tenho pela boa mesa. Cozinha para mim está muito além do prazer de comer, está no prazer de reunir pessoas queridas ao seu redor e farta-las de demostrações de carinho, transformadas em pratos que podem não ser perfeitos, mas que serão inesquecíveis. Voltando ao assunto, o mais importante não é exatamente o ter 100 vidrinhos de  pós velhos que já perderam aroma e sabor, mas também cozinhar não fica interessante se a sua comida tem sempre a mesma base (alho, cebola, sal e pimenta). O importante é sempre respeitar suas limitações, mas permitir algumas ousadias. Eu sempre coloco a validade máxima de um ano. Após esse tempo, mesmo que não tenha mofado, o tempero já perdeu qualidade. Eu cresci sobre uma forte influência árabe, vinda da minha mãe que é neta de italianos mas tem fascínio pelo oriente médio; mesclada com o gosto por ervas frescas e pimentas que vem do meu pai, que tem família de portugueses com indios e africanos. A mistura de origens trouxe para a cozinha dos meus pais uma infinidade de temperos e especiarias.E algumas delas vieram também para a minha gaveta quando casei. Sempre prefira comprar em grãos e moer na hora de usar. Se você não tem moedor ou pilão, vale um pano com martelo rsrsrs tudo pela qualidade 🙂 . Abaixo estão algumas sugestões e o que fazer com elas:

*Açafrão da terra ou curcuma: pode ser utilizado para fazer arroz, carnes e molhos. tem aroma, sabor e cor fortes e deve ser utilizado em pequenas doses.
*Colorau da cor, leve sabor e espessa molhos de tomate e da bela cor no frango
*Páprica- confere muito sabor e cor a carnes e molhos. É feita de pimentões desidratados. Já a picante, pode substituir bem o uso da pimenta nas preparações.
*Lemon peper- esse é um dos temperos que eu mais utilizo em casa, serve para salada, carne, batata frita, vegetais assados….
*Summac- especiaria que pode ser utilizada no lugar do limão.
*Cardamomo- semente que deve ser aberta e utilizar somente as bolinhas no café, molhos para carnes e caldas para sobremesas
*Cominho- também muito forte e que confere a molhos e carnes um sabor característico que eu adoro.
*Pimenta da jamaica- suave e perfumada pode ser utilizada para carnes, molhos e sobremesas é um coringa.
*Pimenta Síria- mistura de especiarias moídas, tais como: Pimenta da Jamaica, Pimenta do Reino preta e branca, Canela, Noz Moscada e Cravo, utilizada para dar sabor especial à carnes.
*Funcho ou erva doce em grãos. utilizada em bolos e caldas, pode (com parcimônia) ser utilizada em molhos
*Noz moscada- sabor tradicional no molho branco, fica ótima em caldas para sobremesas.
*chili- pimentas fortes desidratadas dão um toque super especial às carnes antes de grelha-las
*curry- tenho um queda pelos currys que vêm da Inglaterra, pois são os mais próximos dos verdadeiros currys indianos
*Ana maria- mistura de ervas, alho e tomate secos que vendem nas feiras livres. hidratados em azeite, são  perfeitos para temperar a carne no dia-a-dia.
*Furikaki- sachê de tempero para arroz com algas. Há variações com gergelim, ervas, peixes, frango.

Claro que são apenas idéias e eu não mantenho todos esses temperos sempre e atualmente tenho até outros que não entraram nas sugestões. Visite empórios e mercados municipais. Há sempre um tempero que você não conhece aguardando o seu momento de inspiração. E agora, a receita:

Arroz de especiarias, carne e iogurte
1 xícara de arroz basmati (cozinha tailandesa ) ou do arroz branco
200g de carne  em cubos pequenos (boi, frango ou carneiro)
2 colheres de sopa de manteiga
1 cebola fatiada
1/2 copo de iogurte
1 colher café de sementes de cominho
1 colher café de cravos
1 colher café de canela em pó
1 pimenta malagueta fresca ralada
2 sementes de cardamomo de sementes de cardamomo
Pistilos de açafrão espanhol ou uma pitada de açafrão da terra
Gengibre em pó ou fresco ralado
3 dentes de alho processados
1 punhado de uva passa
1 punhado de amêndoas sem pele
Salsa
Sal
 Preparo
Numa vasilha, junte a carne e o iogurte, misture bem e deixe descansar por 1/2 hora. Derreta a manteiga em uma panela e doure a cebola. Acrescente a carne com o iogurte, as especiarias, o alho e a pimenta malagueta. Refogue até a carne estar corada. Acerte o sal. Junte o arroz na panela de carne e deixe refogar por alguns minutos. Adicione água até um dedo acima dos ingredientes e misture. cozinhe em fogo baixo até que o arroz e a carne estejam macios. Desligue o fogo. Ponha as passas e as amêndoas, tampe a panela e Sirva quente.
Bon Appetit!

3 respostas para “Os temperos da Vida ;-) – Arroz de especiarias”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *